quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Comunidade Surda e profissionais da LIBRAS festejam em Apodi e Região!




Foi aprovada por unanimidade o Projeto de Lei 136/17 de autoria do Vereador Charton Rêgo (AVANTE) na manhã desta quinta-feira 07/12/17 na sessão da Câmara de Vereadores de Apodi. Em uma sessão histórica, a comunidade surda e profissionais da LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) festejaram este grande avanço no que diz respeito a inclusão e possibilidades de maiores espaços no mercado de trabalho. 

Destacamos a participação emocionante em tribuna do representante da comunidade surda, o professor Sebastião Gurgel de Morais, revelou sua história de vida, dificuldades, frustrações, sonhos e por fim a alegria e gratidão pelo projeto que para ele significa mais um passo importante para os surdos de Apodi. Também usou a tribuna a tradutora intérprete Tamires Cristina que além de parabenizar ao Vereador autor da Lei, solicitou sensibilidade ao Prefeito para que o mesmo sancione. 

A sessão ainda foi abrilhantada com as presenças e ação das estudantes apodienses do cursos de Letras-LIBRAS campus Caraúbas-RN e interpretes Tássia, Aleane e Geonara que entram para história dos trabalhos legislativos apodiense, uma vez que esta foi a primeira sessão legislativa interpretada em LIBRAS. 

Por fim, o Vereador Charton Rêgo agradeceu e destacou as participações da professora Netinha Fernandes, Professor Caubi Tôrres e dos professores Carlos Antônio e Acaci e dos presentes em todo o processo. 

Contou-lhes as motivações para criação de tal projeto, ressaltando a importância da UFERSA Campus-Caraúbas - onde cursa Letras-Inglês - que lhe proporcionou os primeiros contatos com a LIBRAS, além da experiência inspiradora em uma igreja, onde pode observar e refletir sobre a postura do representante da Comunidade  Surda Sebastião enquanto participava de um culto. 

“A experiência de se colocar no lugar do outro é um mecanismo poderoso que deva sempre nos levar a pensar do quanto podemos participar do bem estar de nossos semelhantes”, concluiu o Vereador. 

Agora o Projeto de Lei segue para o Executivo onde terá até 45 dias para decidir pela sanção do mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário